Publicado por: institutovialux | 17/04/2011

A DOR DA REJEIÇÃO


            Quem de vocês, alguma vez na vida, já se sentiu rejeitado? É bom? Deus me livre! É péssimo! É muito, muito, muito ruim! Dói, dói, dói prá caramba!

            Nos trabalhos terapêuticos, de consultório, a maioria das pesssoas já relatou ter se sentido assim em algum momento de sua vida. Se a pessoa foi rejeitada ou não, não importa. O que importa é o que ela sente.

            Como trabalhamos muito em PNL, a realidade não é fixa, pré-determinada. Ela não é verdadeira e sim neutra, relativa à interpretação de cada pessoa. Cada um faz a sua própria leitura da realidade, em consonância com seu modelo de mundo, de sua história pessoal, de seu nível social, cultural, emocional, sexo, faixa etária, enfim, das muitas diferenças individuais existentes.

            Sabemos que as pessoas fazem suas escolhas de vida com base na sua busca do bem estar e da felicidade. Sempre fazemos essas escolhas com uma boa intenção para nós mesmos. Porém, o resultado nem sempre é aquele que buscamos. Pode acontecer de sermos interpretados de um jeito que alguém pode se sentir magoado, rejeitado, desprezado, humilhado ou abandonado por nós.

            No entanto, a nossa intenção, naquele momento não foi essa. A pessoa rejeitada sofre, sentindo que foi realmente rejeitada, porém a atitude que pareceu de rejeição, pode ter sido simplesmente, um desabafo, uma escolha não esperada, uma interpretação diferente do que você queria ou mais, uma saída de cena, providencial para quem sai, porém péssima para quem fica.

            Quem está rejeitando quem?

            Ninguém! Ninguém esta rejeitando ninguém, especificamente. Está apenas fazendo sua escolha de vida, pautada naquilo que pode, talvez, trazer-lhe a tão sonhada felicidade. Afinal, todos têm o direito de fazer suas escolhas e de realizar seus sonhos.

            É curioso observar como uma rejeição traumatiza aquele que se sente rejeitado. Passa a sentir que não é suficientemente bom para manter o amor do outro, a atenção do outro ou a companhia do outro. Sente-se incapaz, inseguro.

           O outro, por sua vez, quer outras coisas, tem outros sonhos, outras necessidades, outras prioridades, que provavelmente, não envolva nada de pessoal contra a tal pessoa. É apenas o que já dissemos aqui: a busca da tão sonhada felicidade.

            A sensação de rejeição faz com que o rejeitado assuma sua responsabilidade pela partida do outro e foque toda a sua atenção nos seus “defeitos”. A energia que ele gasta se depreciando pode ser usada para esta reflexão que estamos propondo.

            A rejeição é a impressão que temos quando a outra pessoa toma a liberdade de fazer suas próprias escolhas, contrárias àquelas que esperamos dela. Não é real nem verdadeira. É a nossa interpretação da atitude do outro.

            Se acontecer isso com você, vamos experimentar evidenciar suas qualidades e imaginar o quanto quem o deixou está perdendo? O quanto você é um ser maravilhoso e especial neste universo? O quanto você possui de qualidades e um imenso potencial, talvez inexplorado?

            Além do mais, já que todos têm o direito de fazer suas escolhas, você também tem. Então escolha valorizar-se e também buscar seu bem estar e sua felicidade, apesar das escolhas de quem quer que seja.

            Comece por aceitar-se exatamente como você é. Só assim você poderá sentir-se totalmente aceito, também pelos outros, independentemente das escolhas que eles fizerem.

Lembre-se: você é um ser único e não existe ninguém igual a você!

Pense nisso e seja muito, muito feliz!!!!

Madalena Junqueira – PNL e Coaching – madjl@uol.com.br

Visite nosso site: www.institutovialux.com.br

 

Anúncios

Responses

  1. Parabéns.Madalena, pelo excelente artigo!
    É sempre importante a auto-aceitação e a percepção de que muitas vezes o que interpretamos como rejeição é um mero processamento de informações, carregado de “leituras da mente” e “equivalências complexas”, como bem nos mostra o metamodelo de linguagem.

    Grande abraço

    VALDECY CARNEIRO
    Presidente da SOCIEDADE INTERAMERICANA DE HIPNOSE
    Psicólogo, Psicoterapeuta,
    Programador Neurolinguísta (PNL),
    Hipnoterapeuta, Homeopata Clássico
    Life Coach (Coaching de Vida e Projetos Pessoais)
    Learning Coach (Aprendizagem Acelerada e Desbloqueios de Aprendizagem)
    Executive Coach (Coaching Estratégico de Carreira e para Executivos)
    Consultor em Treinamentos e Técnicas de Vendas
    Palestrante e Consultor Motivacional
    http://www.valdecycarneiro.wordpress.com
    http://www.institutosynergia.com.br
    http://www.somostodosum.com.br/valdecycarneiro
    Skype: valdecycarneiro
    MSN: valdecycarneiro@hotmail.com
    Twitter: @valdecycarneiro
    (11) 9282-5650 – Claro
    (11) 7303-8814 – Vivo
    (11) 6888-3686 – Oi
    (11) 6360-0511 – Tim
    (11) 3492-7357 – preferencialmente entre 10:00 e 13:00 horas


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: